Contacto direto
igus® Lda.

Rua Eng. Ezequiel

Campos, 239

4100-231 Porto

+351 226 109000
+351 228 328321

O que significa a "classe" (classificação) chainflex®?

Há mais de 20 anos que a igus® fornece cabos sob a marca chainflex® para movimento contínuo em calhas articuladas, que são singularmente adequados para isto fazer bem:
funcionar de modo fiável.
Para alcançar isto, os cabos elétricos chainflex® têm de satisfazer requisitos exigentes em todas as aplicações de calhas articuladas, tais como, raios de curvatura muito reduzidos, altas frequências de ciclo, espaços de instalação pequenos e diversas exposições químicas e parâmetros dinâmicos.
A igus® realiza qualificações básicas para cabos segundo as normas da igus® no seu centro técnico e laboratório de testes interno. Estas normas de classificação chainflex® incluem planos de teste que, por fim, resultam na "classe" igus®.

1. Classificação chainflex® standard - "Materiais"

Para além dos típicos testes padronizados específicos para cabos (tais como testes de resistência a ciclos de flexão, envelhecimento, atrito, resistência aos meios, possível resistência a chamas, etc.), os materiais propostos para produção em série de cabos chainflex® têm de obter resultados positivos num conjunto de testes de resistência em calhas articuladas. Estes programas de testes, que podem durar até 3 anos, são sempre baseados em testes de movimento em e com calhas articuladas / materiais de calhas articuladas e incluem:

Testes de resistência à flexãoem calhas articuladas à temperatura ambiente e em curso deslizante e sem suporte.

Testes de resistência à flexãoem calhas articuladas a temperaturas inferiores a zero e em curso de 8 m (até -40 °C, dependendo dos materiais)

Testes de resistência à flexãoem calhas articuladas em diversos meios líquidos, em curso de aprox. 0,5 m.

Testes de atritoTestes de atrito em combinação com materiais de calhas.

3. Classificação chainflex® standard

Estes programas de testes baseiam-se em especificações standard das agências de certificação e são realizados em conformidade com estas especificações.

Testlab

A igus® expandiu agora amplamente o seu laboratório de testes para calhas articuladas e cabos para 1030 metros quadrados. Os novos produtos standard e calhas articuladas específicas para clientes estão constantemente a ser testados em mais de 70 bancos de ensaio.

 

2. Classificação chainflex® standard - "Design"

Dependendo do objetivo definido (p. ex. curso duplo), estes programas de testes, que podem durar 1-3 anos, são sempre baseados em testes de movimento em e com calhas articuladas e incluem:

Testes de resistência à flexãoem calhas articuladas à temperatura ambiente e em curso deslizante e sem suporte. Os raios são substancialmente menores que os subsequentemente definidos no catálogo.

Testes de resistência à flexãoem calhas articuladas a curvas de temperatura variáveis dos -40 °C aos +60 °C - dependendo do design e do material - em cursos deslizantes e raios menores que os subsequentemente definidos no catálogo.

Testes de resistência à torçãoem calhas articuladas triflex® a ± 180 °/m para cabos de torção no banco de ensaio de torção com calha articulada triflex® de 1 m.

Testes de resistência à torçãoem calhas articuladas triflex® com programas de movimento em robots de 6 eixos.

4. Classificação chainflex® standard - "Otimização da produção"

Após uma qualificação plurianual do design e dos materiais, os processos de produção são qualificados e definidos até ao nível das máquinas, a fim de manter a tolerância de fabrico o mais reduzida possível. Naturalmente, são recolhidos cabos da produção em curso, de forma sistemática e contínua, e submetidos a um teste de lote. Teste de lote na igus® significa:

Registo e análise dos parâmetros de produção em relação ao cabo chainflex®.

Realização de testes de resistência à flexão em bancos de ensaio de calhas articuladas com cursos curtos e rápidos.


Como forma de simplificar a seleção de quase 1000 cabos para calhas articuladas móveis, a igus® introduziu o novo sistema de seleção de "classe" e qualificação de cabos com base nestas séries de testes.
Com base nesta classificação, é possível selecionar um cabo para aplicações específicas de forma rápida e fácil. A "classe" descreve a carga esperada, o curso e a necessária resistência a óleos/ao meio.

Para lhe facilitar a escolha, classificamos todos os cabos chainflex® segundo os critérios "requisitos, resistência a óleos e curso". Quanto mais elevado for o número, melhor será o cabo.
 
Exemplo:Está à procura de um cabo que resista aos mais elevados requisitos mecânicos. Os cabos também têm de cumprir os requisitos de resistência a óleos de acordo com a DIN EN 60811-2-1 e a DIN EN 50363-10-2. Numa aplicação sem suporte e deslizante, o curso deve ser de até 100 m.
 
O resumo da classificação é usado para escolher entre:
 
Requisitos: 6 Curso: 5 Resistência a óleos: 3
Isto resulta na classificação do cabo – "classe 6.5.3" neste caso, que pode também encontrar nas respetivas páginas dos produtos.

A classe chainflex® é composta por 3 partes:

Demanda

1 a 7

Curso

de 1 a 7

Resistente a óleos

1 a 4

Demanda

Demanda  

1: Cabos flexíveis
 
2: Cabos extraflexíveis
 
3: Cabos adequados para calhas sem estrutura especial (p. ex. entrançado em camadas) para uso em calhas articuladas.
 
4: Cabos com design especial para movimento contínuo em calhas articuladas, carga média, raios a partir de 7,5 x d, velocidade até 3 m/s
 
5: Cabos para movimento contínuo em calhas articuladas, uso em aplicações pesadas, raio a partir de 6,8 x d, velocidades até 10 m/s
 
6: Cabos para movimento contínuo em calhas articuladas para uso em aplicações pesadas, para raios a partir de 5 x d, velocidade até 10 m/s
 
7: Cabos para movimento contínuo em calhas articuladas para uso em aplicações pesadas com os raios mais pequenos, aplicações interiores e exteriores, para raios a partir de 4 x d, velocidade até 10 m/s e mais

Curso

Curso  

1: Sem suporte
 
2: Cursos até 10 m
 
3: Cursos até 20 m
 
4: Cursos até 50 m
 
5: Cursos até 100 m
 
6: Cursos até 400 m e mais
 
7: Aplicações de torção

Resistência ao óleo

 

1: Sem resistência a óleos
 
2: Resistente a óleos de acordo com DIN EN 50363-4-1
 
3: Resistente a óleos de acordo com DIN EN 50363-10-2
 
4: Resistente a óleos de acordo com DIN EN 60811-2-1, resistente a óleos biológicos de acordo com VDMA 24568 com Plantocut 8 S-MB da DEA

Em teoria, seriam possíveis as seguintes classes: classe mais baixa 1.1.1, classe mais alta 7.4.4